O que é um Agente Autônomo de Investimento?

Você entende de investimentos e sonha em se tornar dono do próprio negócio? Já pensou na possibilidade de distribuir aplicações financeiras? No Brasil, há cerca de 10 mil profissionais que ajudam as pessoas a tomar as decisões mais adequadas na hora de investir dinheiro. Os agentes autônomos de investimento, nome dado pela CVM a esse profissional após verificar que ele preenche as condições de atuação, explicam aos clientes o funcionamento de aplicações financeiras como ações, renda fixa, fundos de investimento, fundos imobiliários, derivativos e contratos futuros. Esses profissionais conhecem as regras do mercado financeiro e o risco/retorno das aplicações, tiram as dúvidas e aconselham os clientes que querem investir e vêm se tornando figura fundamental no desenvolvimento do mercado de capitais brasileiro.

A profissão ainda tem um enorme potencial de crescimento. Nos Estados Unidos, por exemplo, mais de 700 mil pessoas ganham a vida ajudando os americanos a investir e a organizar as próprias finanças. A carreira consegue conciliar remuneração atraente com prazer no trabalho. De acordo com pesquisa do site CNN Money, o "financial advisor" (consultor financeiro) aparece em sexto lugar no ranking das profissões com os trabalhadores mais satisfeitos dos EUA. Os salários alcançam em média US$ 90,2 mil por ano, mas os profissionais melhor remunerados chegam a embolsar mais de US$ 200 mil. Engana-se quem acha que o mercado americano está saturado. Segundo dados do Departamento de Trabalho dos EUA, o número de consultores financeiros deve crescer 32% nesta década.

Com a queda dos juros para patamares mais civilizados no Brasil, a expectativa é que a profissão de agente de investimento passe por um verdadeiro boom nos próximos anos. A maior parte da população se acostumou a deixar o dinheiro investido nos bancos de varejo, como o Banco do Brasil ou o Itaú. Os dois investimentos mais populares do país são a caderneta de poupança e os títulos de capitalização – sabidamente duas aplicações financeiras que estão longe de serem as mais rentáveis.

A redução nos juros, entretanto, deve colocar em evidência as deficiências desses produtos financeiros e fará com que o Brasil passe por um processo semelhante ao que foi verificado nas últimas três décadas nos EUA. Lá, o dinheiro, que também já esteve majoritariamente aplicado nos bancos, migrou quase que inteiramente para corretoras e gestora de recursos independentes. Muitos dos maiores bancos dos EUA já nem possuem áreas próprias de gestão de recursos. Quando isso acontecer no Brasil, aumentará exponencialmente a demanda por aplicações financeiras mais rentáveis e sofisticadas, o que garantirá maior relevância e visibilidade aos agentes de investimento. Quem já tiver um escritório de distribuição de investimentos estabelecido e uma carteira de clientes consolidada terá vantagens competitivas por ter saído na frente.

Hoje não falta trabalho para agentes de investimento certificados. Todos os agentes precisam ser credenciados a uma corretora. Geralmente os agentes abrem escritórios próprios e recebem uma comissão que corresponde a uma parte da taxa cobrada pela corretora pela intermediação do investimento. A remuneração total do agente depende do número de clientes com quem ele mantém relação comercial e das condições do acordo fechado com a corretora sobre a comissão a ser paga por transação.

Em média, a receita anual de um agente autônomo varia entre 0,7% e 1,5% de todo o dinheiro que ele capta. Um profissional bem-sucedido que consiga montar uma carteira de clientes que, juntos, tenham um patrimônio aplicado de R$ 50 milhões, por exemplo, poderá alcançar uma remuneração anual de até R$ 750 mil. Captar tanto dinheiro, no entanto, é só para os melhores. A remuneração total também depende muito do perfil dos clientes.

O agente autônomo também tem algumas despesas. Em geral, é necessário ter um escritório para atender os clientes. Será necessário alugar uma sala e investir na compra de computadores, telefonia e móveis, entre outras despesas. Os agentes que dão cursos para a formação de investidores também vão precisar de uma sala de treinamento – mas isso pode ser feito na empresa onde os clientes trabalham, em um espaço alugado em um hotel, etc.

Fonte: XP Investimentos , publicado no site Infomoney em 28 de abril de 2014.
http://www.infomoney.com.br/agente-autonomo-de-investimento